Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Delicate Notes

As memórias são para ser partilhadas

Depressão

Tumblr_mgwhec9kwi1rs4lfuo1_500_large

Nem sei muito bem como falar deste assunto, pois é muito complicado. Não sou eu que estou a passar por isto, mas sim uma amiga minha. Foi hoje que se deu a revelação. Já há muito tempo que as coisas andavam tremidas e estranhas e aconteciam coisas que nós, o grupo de amigas dela, entendiamos de uma forma diferente, acabando por entender tudo ao contrário. Agora sim, tudo faz sentido. A maquilhagem como que para criar uma máscara, os desmaios, o facto de não ir ao ballet (que eu sempre soube que envolvia mais alguma coisa para além da desculpa que ela usava), a mudança de atitudes, a falta de alimentação e as pessoas com que se começava a dar. Sinceramente se me perguntarem se sei aquilo que ela está a passar? Não, não sei. Nunca estive numa situação parecida e não sei o que fazer para a ajudar, para fazer com que se sinta melhor. Sinto que a relação de nós as 5 nunca mais vai voltar a ser a mesma. As coisas vão mudar a partir daqui. A pressão acumulada foi tanta, que ela se cortou. Tem o braço completamente cortado até ao cotovelo. Pensamos sempre que acontece aos outros, mas depois quando acontece a nós ou a alguém próximo da qual gostamos, não sabemos como lidar. As emoções tornam-se tão fortes que faz com que tudo mude. Mesmo que nos preocupemos e façamos tudo, ela pensa que não o fazemos, que não nos preocupamos com ela, que não a entendemos. E o pior é que eu não sei o que fazer para melhorar as coisas, para a fazer sentir um pouco melhor. Agora arranjou um grupo de rapazes, que segundo ela é que são os "verdadeiros amigos", só porque a defenderam contra nós. CONTRA NÓS, disse bem. Parece que os papéis se inverteram. Nós que éramos tudo, passámos a ser nada para ela? Eles é que se tornaram o seu refúgio, porque segundo ela, eles entendem-na e apoiam-na. E nós, não? Será que não foi o que passámos o tempo todo a fazer? Sempre a tentar chamá-la à razão e aconselhá-la. Sempre a apoiá-la. Parece mentira o que está acontecer. Eu ainda estou perplexa e chocada com tudo isto. E faz-me imensa impressão como é que ninguém da família dá conta disso, como é possível? A mãe, os irmãos...Quando se despe, quando toma banho. Tenho medo de como as coisas vão ficar, qual é que vai ser o rumo que isto vai ter e onde é que a nossa amizade vai ficar no meio disto tudo. E principalmente, tenho medo do que ela pode fazer de pior ou que lhe pode acontecer, visto que ela sente que a vida não tem sentido. O futuro, só o tempo o dirá...Mas pergunto-me, como lidar com uma situação destas? Só a quantidade de vezes que apaguei e voltei a escrever as coisas, começei a escrever o post à 01h00 e são 01h29 e ainda estou a tentar passar as emoções para o "papel". Temos de acreditar que tudo vai voltar e com o tempo as coisas vão começar a ir ao lugar.

25 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Beatriz, 17. Ciências e Tecnologias


Seguir

Follow

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D