Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicate Notes

As memórias são para ser partilhadas

Não percebo! (6)

01c0cfdb2c9a_large

No ano passado, tive algumas situações na minha turma, que me levaram a pensar e a refletir sobre o assunto. Penso que a curiosidade passa por todos nós, a diferença está em quem consegue controlá-la e em quem precisa de o fazer para se "sentir melhor". Eu própria já senti essa curiosidade, levada também por algumas influências...No entanto, sabia bem o que queria e não pretendia mais do que isso, tendo consciência dos meus atos, impondo um limite para certas situações.

E acho sinceramente muito estúpido os jovens que o fazem só porque acham que isso os torna superiores e melhores do que os outros, que lhes dá muita 'pinta' e faz como que já sejam "muito adultos", rebeldes e independentes. E quando no ínicio se escondem, para que ninguém descubra, mas depois quando se começa a descobrir, ficam todos contentes, a acharem que os outros os acham muito rebeldes por o fazerem. É mesmo rídiculo! Não vejo mesmo piada em estragar a nossa saúde e ainda por cima por motivos que nem têm uma justificação no mínimo plausível. Muitas vezes, parte da culpa é também dos pais. A ausência destes no quotidiano dos jovens e no acompanhamento tanto a nível escolar, como a nível educacional é um forte fator que influência também isto. Para além disso, o que lucram os jovens em transadarem a tabaco e serem umas chaminés ambulantes autênticas?!

Amigos

Entristece-me ter a idade que tenho e ter uma opinião tão infeliz em relação às pessoas. Com algumas das coisas que já me aconteceram, eu posso dizer que é impossível ter-mos uma pessoa a quem atríbuamos o nome de "melhor amiga". Porque a verdade é que essas pessoas, mais tarde ou mais cedo, acabam sempre por nos decepcionar. Podemos ter amigos com os quais nos demos melhor, aqueles a que se chamam bons amigos, mas melhor amiga, não! É uma palavra que para mim, deixou de puder ser atribuída a qualquer pessoa. Às vezes, para ser sincera, olho para as pessoas e tenho ciúmes (sim, isto é muito feio) de não puder ter uma amiga assim. Vejo toda a gente com uma melhor amiga, mas para mim elas não existem. Simplesmente não se pode confiar assim nas pessoas, porque vamos sofrer mais tarde com isso. A minha única melhor amiga é mesmo a minha irmã. É a única que NUNCA me decepcionou. E é também nestas alturas que distinguimos os amigos dos amigos verdadeiros. E eu tenho isso bem distinto na minha mente. É realmente muito triste...

Mesmo no último ano, acreditando que podia ter encontrado uma pessoa em que realmente podia confiar a 100%, isso é completamente errado. Claro, é uma boa amiga e está lá sempre. Mas há certas coisas, que nos levam a pensar se é realmente o suficiente para ser a melhor. Este conceito é muito vago, mas intenso e vejo pessoas a atribuí-lo a cada pessoa que lhe aparece na vida! Tenho pena de não conseguir encontrar alguém assim...Tenho algumas pessoas que são uns óptimos amigos e sei que posso sempre confiar neles, mas melhor amiga para mim deixou de ser possível existir. Desculpem se estou a ser hipócrita e se têm uma pessoa muito especial para vocês, mas talvez isto seja o reflexo de todas as minhas experiências, das quais pude formar esta opinião. Sinceramente, estou melhor assim. Rodeada de bons amigos!

3º Período

Ainda hoje começou. Primeiro de tudo, já tinha planeado usar alguns looks com algumas das novas roupas ao longo desta semana e começei logo por não o poder fazer, devido ao tempo! Acabei por só poder estrear os Vans. E devo dizer-vos que este tempo me aborreceu imenso...Deixou-me mais triste, com mau humor e sem vontade de regressar às aulas, vontade essa que até tinha no dia anterior. Já trouxe trabalhos para fazer e que são para amanhã e ainda tenho de ver se acabo aquele texto que vos falei para Português nas férias, que ainda não consegui concluir (é para entregar até Sexta) e tenho de ver se me dedico mais ao de EV, que ainda só está um esboço.

Hoje foi também um dia complicado. Temos um trabalho de grupo para fazer nas aulas de CFQ e CN ou seja são 90 + 90 min. só com um intervalo de 15 min. pelo meio, fechados na biblioteca e ainda por cima a trabalhar um tema que já abordámos milhares de vezes em anos anteriores e acerca do qual já estamos bastante fartos. E depois o meu grupo é fantástico (not)! Tenho talvez o elemento e colega da turma que praticamente nada mais faz (e depois com outro da mesma categoria dele, "juntam-se os dois à esquina" e a brincadeira nunca mais acaba), a não ser comentários infelizes, mas acha-se o maior, o mais sábio e que faz sempre tudo bem! Os trabalhos dele consistem em copie + paste e o trabalho de aula é escrever os sumários no caderno e brincar com as borrachas que nos rouba (sim, ele rouba-nos!) e giz que tira do quadro para fazer pó. Vejam bem que até tem um "armazém" atrás de uma mesa no sótão do Conservatório. Eu chamo a isto ter parafusos a menos...Eu não sei mesmo o que é que ele pensa que vai ser o futuro dele, mas enfim, ele é que está a delinear o seu caminho e claro que a educação e o acompanhamento dos pais também se reflete! Mas nem vou perder o meu tempo a falar sobre ele e até porque nem tenho nada a ver com isso...A única coisa da qual é da minha conta é que participe no trabalho.

Para terminar, aconteceu-me a melhor...Agora sou "culpada" de comprar as coisas primeiro do que os outros, deixando-os sem vontade de comprar o que queriam, por ser igual! -.- Realmente...Eu devo ter mesmo culpa que os outros não as comprem! Eu nem sabia que as queriam comprar. Eu sinceramente, nem sei porque é que ainda perco tempo com estes assuntos insignificantes e que só me fazem pensar o quanto as pessoas são parvas!

Love is Love.

Quando vi esta imagem, pensei em fazer um post sobre este assunto, de modo a poder partilhar a minha opinião e poder saber também, qual a vossa opinião em relação a este assunto.

Este é um tema bastante polémico. Eu penso que ninguém pode julgar as pessoas pelas decisões que tomam. Na minha opinião, desde que essa decisão não venha interferir na vida e bem-estar de outras pessoas, independentemente de ser uma decisão a nível sexual ou não. O problema não se aplica a nível da escolha sexual de cada um, mas sim na forma como é discriminada a pessoa que toma essa decisão. Lembro-me de já há algum tempo ter visto uma reportagem sobre este assunto na RTP1 e realmente pessoas com esta orientação sexual eram fortemente discriminadas, a nível da dificuldade em arranjar emprego, serem expulsas pelos proprietários das casas onde habitavam, enfim! Afinal são cidadãos e pessoas normais, que apenas amam pessoas do mesmo sexo da deles. Isto leva-nos a ver o quão preconceituosa é a nossa sociedade actual.

Qualquer escolha que estas pessoas tomem, desde que não interfira na minha vida, tudo bem. Desde que as faça feliz e isto seja ela ou não a escolha de uma relação amorosa com uma pessoa do mesmo sexo.

Mas como é óbvio, não vou negar que não gosto de ver pessoas na rua do mesmo sexo agarradas e a mostrarem afecto normalmente como um casal de sexos diferentes. No entanto, isto reflete um bocadinho a nossa sociedade retrógada (incluindo eu, claro), pois nunca fomos habituados a ver este tipo de situações, tal como não imaginamos por exemplo, uma mulher a ser electricista ou montada num tractor. Mas isso é o papel que a sociedade atribui a cada trabalho ou função e por isso não estamos habituados a estas diferentes formas de vida e que são negadas por tais escolhas. No entanto, o facto de não me agradar visualizar estes casais na rua, não faz de mim uma pessoa que não aceita este tipo de opção de vida e aliás que não respeite. Eu respeito e aceito estas pessoas que têm preferências sexuais diferentes da minha, aliás até porque não estamos impedidos de um filho nosso vir a a ter essa orientação. Claro que posso não concordar ou não gostar, mas quem sou eu para decidir a felicidade das pessoas?

Mas devem existir limites. Porque tudo bem que devem ser livres para fazer as suas opções, sem que sejam vítimas de discriminação dependendo da opção que tomam, mas por exemplo aquelas "paradas gay's". Dizem que estas visam combater o sentimento de vergonha sentido por muitos homossexuais, ou mesmo por grupos (geralmente de religiosos conservadores) que afirmam que tal comportamento sexual é vergonhoso, no entanto a única coisa que conseguem fazer com elas é evidenciar que eles próprios se sentem diferentes do resto da sociedade e isso não vai contribuir para que ninguém se sinta melhor, na minha opinião, é claro. E depois também, muitas vezes a forma como se vestem, parece que acentua ainda mais a forma como se mostram como homossexuais, porque levam a maneira de vestir a um exagero extremo, que só acaba por os prejudicar e causar ainda mais preconceito entre a sociedade. Mas são opções e eles lá sabem e quem somos nós para interferir nelas, se as mesmas não nos prejudiquem?

No entanto, sou totalmente contra as injustiças, discriminação e com a carrada de preconceito que levam em cima...Penso que cada um deve ter a sua orientação sexual e isso só vai contribuir para a felicidade de todos nós! "Eu não escolhi ser heterossexual, tal como os homossexuais não escolheram o ser. E é isso que as pessoas têm de perceber."
E é muito mau ouvir as pessoas que afirmam que a homosexualidade é uma doença. Doença?! Penso que quem deve estar doente é quem afirma este tipo de opiniões...Outra coisa que me surpreende é as pessoas que dizem que sofrem de Homofobia! Tenho uma colega que diz que sofre...Na minha opinião, se nós conhecermos uma pessoa e não soubermos a sua orientação sexual, podemos até simpatizar com ela e tornarmo-nos grandes amigos! No entanto, imaginem que agora descobriam que essa pessoa era homossexual ou algo assim parecido..Deixavam-se de dar com ele, só pela sua orientação? Isso é no mínimo ridiculo e só mostra que a homofobia não é um medo, mas sim um preconceito contra aqueles que amam pessoas do mesmo sexo! Afinal, e inspirando-me na imagem, amor é amor independentemente do sexo da pessoas envolvidas nesse amor, basta respeitar-mos, mesmo que não gostemos de demonstrações afectuosas na rua, temos que respeitar!

Beatriz, 17. Ciências e Tecnologias


Seguir

Follow

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D