Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicate Notes

As memórias são para ser partilhadas

Ser nacionalista

E não, este tema não vem devido à crise e devido ao facto de, como todos sabemos, não damos o devido valor às coisas boas do país, sobressaindo só o que é menos bom. Este post vem sim de uma coisa que a minha prof. de Geo (que não é de todo alguém que eu admire ou alguém da qual a sua personalidade me inspira, aliás, até bastante o contrário) disse na aula em relação ao facto de não gostar de nada do que é português e que tudo o que se faz neste país é mau relativamente a todas as áreas, não só política, mas a todos os níveis. Aliás, ainda proferiu que tinha orgulho em não sentir orgulho deste país. Isto é realmente algo que me deixa pensativa e não sei como é que as pessoas podem ter esta ideia. Claro que temos de respeitar a opinião de cada um e hoje em dia toda a gente quer ir para fora e todos proferem a frase "quem me dera ter nascido em...". Mas se pararmos para pensar, provavelmente não seria bem assim. Talvez desejemos ter nascido noutro país devido ao facto de nunca nos contentarmos com o que temos e quando visitamos outro país, é uma coisa nova, uma experiência nova, uma cultura nova. Mas e se tivessemos nascido nessa cultura? Será que por esta altura também não teriamos sido atingidos pela monotonia e desejaríamos viver noutro lugar? Não sei porque é que as pessoas têm motivos para não gostar de Portugal. É um país lindíssimo, óptima gastronomia, a literatura, música e dança, arquitetura, desporto..Podemos estar mal financeiramente, mas orgulho-me de ser Portuguesa.

(13) inspira-me

"Já sentiu a necessidade de apagar um post publicado há algum tempo? Porquê?"


Não sei quanto a vocês, mas eu pelo menos tenho muito essa mania. De vez em quando dá-me para ir ler o blog todo deste o início, melhorar a escrita de alguns posts, remover outros. Por um lado, acho que faço mal, porque é como que a minha evolução enquanto blogger, mas por outro, são coisas com a qual já não me identifico e penso "que parva que fui ao publicar isto aqui". Serei a única?

 Tumblr_mjrhcamusm1qf3gy5o2_500_large

Hoje é o dia

Todos os dias abro a página dos blogs. Não falha. Afinal, já faz parte de mim. No entanto, as palavras escapam-me e desalinham-se na minha cabeça, não conseguindo eu encontrar maneira de as colocar no "papel". Decidi que era altura de voltar, regressar ao ritmo habitual. Voltar a interiorizar-me na blogosfera. É hoje, tem de ser..Tenho de voltar a sentir o entusiasmo pela escrita e por ler os vossos blogs. Hoje é o dia.

 

Ao abandono

Tumblr_mju3hspmek1rpll0ho1_500_large

Realmente o blog anda um bocadinho abandonado. Não tenho inspiração para escrever, nem assunto. Na minha vida, continua tudo igual. Embora tente colocar as palavras no seu sítio e escrever, não consigo. Não sai nada. Só me resta aguardar que a inspiração venha...

Copiar compulsivamente

File:I'm surrounded by idiots.gif

Tenho uma amiga minha e que aliás é do meu grupo de amigas, mas que desde que a conheço que me imita no que diz respeito aos trabalhos da escola. Se eu uso umas cores, ela vai e usa-as, se eu meto um border na folha do trabalho escrito, ela vai e mete. É irritante este tipo de coisas. Chegamos a ter trabalhos que parecem iguais, porque ela os faz exatamente com a mesma estrutura dos meus. Mas o trabalho que apresentámos na sexta feira na aula de História foi a gota de água. Basicamente apareceu com um power point exactamente estruturado com o mesmo tema, a mesma disposição de imagens e ainda entregou um jornal com o conteúdo do trabalho a cada um. Jornal esse que eu já tinha feito num trabalho também de História, mas noutro ano letivo. E ela, a achar que eu ia levar um powerpoint para apresentar o trabalho. Como é óbvio eu baseio-me nos meus ppt antigos para criar os novos e então ela achava que eu ia levar um powerpoint exatamente com a mesma estrutura. E depois quem é que se lixava e quem é que não tinha sido original? Era eu, porque nós apresentávamos consoante a ordem da matéria e a dela vinha primeiro. Felizmente, eu não tenho uma cabeça pequena como a dela e sei inovar e não pegar nas ideias dos outros e o meu trabalho foi uma reportagem em vídeo, no género de um programa de história num cenário televisivo e com vídeos da época retratada. Querem apostar que da próxima vez iremos ver um video no trabalho dela? Dá-me gozo como é que ainda tem a lata de o fazer. Não, é que preciso ter lata para fazer o que ela faz. E não ter respeito pelo trabalho dos outros. Quero ver, como é que se vai desenrascar na faculdade.  É que inspirar-se num trabalho meu para fazer o dela, é uma coisa..Agora, há uma coisa completamente diferente que é copiar e mudar as imagens só. E depois o que me irritou mais foi no final, a prof. dizer "não poderiam ter apresentado melhor este tema". Com o trabalho dos outros, é fácil, não é? Agora digam-me, se estivessem na minha situação, o que faziam? É que eu já deixei passar muitas coisas deste género em branco, mas chega a uma altura em que a pessoa rebenta. A minha mãe diz para eu atacar no momento em que for para os alunos comentarem os trabalhos. Acham que devia ou que isso me vai prejudicar?

Pág. 1/2

Beatriz, 17. Ciências e Tecnologias


Seguir

Follow

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D