Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicate Notes

As memórias são para ser partilhadas

Não percebo! (12)

Carpe diem

Perdoem-me as pessoas que o fazem (e vá, até há alguns looks bem conseguidos com elas [só mesmo alguns!]), mas não consigo entender o uso de botas no Verão. Não compreendo e aliás, não sei como é que suportam em plena estação com 30 e tal graus andarem na rua com botas quentes de Inverno..devem ter o pés a arder. Faz-me calor só de olhar. Claro que também há botas menos quentes e mais apropriadas para a meia estação, mas faz calor na mesma e na minha opinião, não é esteticamente bonito. E vocês? Usam ou também não são grandes apreciadoras?

Quando é que vai parar?

É uma tristeza a situação em que o país se encontra: constantes fogos ativos pelo país fora. E a verdade é que isto não é novidade..Normalmente, todos os anos durante o Verão o nosso país torna-se centro deste género de acontecimentos e todos os anos fala-se do mesmo, mas melhorias não há. Todos os anos é a mesma coisa. Fazem-se reportagens, fala-se da limpeza das matas, das vidas perdidas, mas no ano seguinte tudo retoma ao mesmo, sem melhorias. Até que houve uma melhoria em 2012, mas este ano? Este ano está a ser o limite. Está a ser catastrófico. 
Basta andar na rua para ser notória uma mancha cinzenta lá ao fundo no céu que nos alerta para (mais) um dos tantos ativos nesse momento. Isto no meu caso, claro. Porque há pessoas que não o vêm "lá ao fundo", mas sim de bem perto. Perto das suas casas, dos seus valores e pertences e vêm os mesmos ameaçados. Vivem em angústia e com o coração nas mãos, até o fogo estar controlado. 
Para além dessa vertente, ainda temos as vidas que se perdem na luta contra o fogo. Bombeiras de 20 e poucos anos, com a vida pela frente e que dão a cara por pessoas covardes que são as causadoras dos fogos. 50 incendiários já foram detidos. 50!! Já basta o governo a tentar destruir o país, agora o povo decidiu juntar-se-lhes? É triste toda esta situação. 

Mas depois pergunto-me, o que andam os reclusos a fazer nas prisões? A terem comida, cama e roupa lavada e até estudos dentro das mesmas? E tudo pago por quem? Pelos meus pais e pelos vossos também. Porque não metê-los a trabalhar, a limpar matas? Mas não. Claro que não.  

Dos sítios a visitar (2)

E hoje para encerrar as viagens em terras lusas, venho falar dos arquipélagos claro dos Açores e da Madeira. Como é óbvio, para além de Portugal Continental, as ilhas também são destino de eleição.

Açores 

Os Açores é um sítio incrível e com paisagens absolutamente lindas. A ilha que tenho mais curiosidade em visitar é S. Miguel, talvez por ser a mais falada. Perder-me por entre o Vale das Furnas, a Lagoa das Sete Cidades, do Fogo e do Congro, o Parque Terra Nostra, o Salto do Cavalo, a Caldeira Velha, entre tantos outros locais! A cima de tudo conhecer os pontos fulcrais, porque é importante conhecer-mos o que é nosso. Mal posso esperar por me passear pelas paisagens incríveis dos Açores e desfrutar dos banhos nas caldeiras!
Madeira
 

 

 

Adorava visitar a Madeira! Derreto-me com as paisagens e atracções...Acho que ficaria instalada no Funchal, mas iria fazer a travessia (barco ou avião) para ficar a conhecer Porto Santo. Os principais pontos a visitar são o Curral das Freiras que tem uma história fantástica, Santana (onde se localizam as casas da foto), fazer a tradicional descida pelos Carreiros do Monte, passear nas Levadas, visitar o Jardim Botânico, o Cabo Girão, o Pico do Areeiro, dar um mergulho nas Piscinas Naturais de Porto Moniz e por fim, a Marginal do Funchal. Parece ser uma viagem que vale a pena.

 

Vocês já visitaram alguma destas ilhas?

Isto não é o fim

Era demasiado vazio se assim fosse. Era demasiado incompleto. Isto é algo que nunca vamos saber na verdade, só mesmo depois de nos acontecer a nós e aí já não poderemos estar cá para contar. Tudo isto é muito complexo para a minha cabeça. Há diversas teorias e nem todos acreditam. Uns dizem que é parvoíce, outros acreditam com convicção que não é o fim. Será? Eu acho que sim. Que há realmente qualquer coisa depois. Depois da morte. Mas algo diferente, algo melhor. Quando era pequena e como já revelei num post, tinha medo da morte. Confesso que continuo a ter, mas não da mesma maneira. O que me assusta de certo modo é não morrer realizada, porque se assim for, então não tenho o que temer. De qualquer forma, assusta-me o momento. Assusta-me o que há (caso haja) depois. Vocês acreditam que há realmente algo?

O Recorte

 

Nem imaginam a minha felicidade quando vi que o Sapo tinha recortado o meu post - breakfast on vacations! É o primeiro recorte de um post do blog e que me deixou muito orgulhosa. Fica aqui o meu agradecimento à equipa dos blogs do Sapo pelo feito. 

Para além do recorte, ainda fui incluída no top de posts mais comentados e favoritados da semana com o post Suposições, como podem ver aqui.

De regresso

Simply...Feminine...Old-Fashioned...

E por esta hora já devo estar no carro, pronta a regressar a casa! Passaram muito rápido estes 12 dias, mas foram bons! Deu para mudar de ares e recordar as pessoas e as atrações do local. Agora é guardar as memórias e aguardar pelo regresso no próximo ano, assim espero.

Sei que falhei alguns dias com os posts, mas foi devido à internet limitada que não me permitiu fazê-los. Encontramo-nos agora na azáfama do regresso às aulas (altura do ano que eu adoro!) e mal posso esperar por chegar a casa para ver os folhetos que chegaram com o material.

Daqui a uns dias também se irá realizar a festa da minha zona, que é uma ótima desculpa para estar com os amigos antes das aulas começarem. Para além disto, aguardo ansiosamente a saída das turmas, porque a minha escola, deve ser a única que só as coloca uns dias antes dos dias da apresentação e tenho medo da turma em que vou calhar e claro, do horário!

Espero ir às compras nos próximos dias, agora que estou de regresso, porque tenho mesmo de adicionar algumas peças ao meu roupeiro e estou a pensar em fazer um alisamento progressivo, que nem imaginam o quanto ia facilitar a minha vida, mas vamos lá ver...Em breve dou novidades!

breakfast on vacations

Smile More | Worry Less | Keep Dreaming | via Tumblr

Normalmente durante o ano, o pequeno almoço é uma refeição inexistente no meu dia. Ora porque acordo e já estou atrasada, ora porque não tenho apetite de manhã e me parece que vou vomitar se enfiar algo no estômago. E eu sei, eu sei que é a refeição mais importante do dia e acreditem que os meus pais me tentam relembrar isso diariamente, mas acabo por me escapar ao pequeno-almoço. No entanto, durante as férias o caso muda de figura. Aliás, o pequeno-almoço nas férias sabe-me pela vida! Não sei se é por acordar mais tarde (e mais bem humorada) e ter todo o tempo do mundo para o tomar, ou se é por qualquer outro motivo. Mas a verdade é que isto acontece...mas basta regressar a casa para me desleixar completamente e voltar aos maus hábitos. Será que só acontece comigo?

Pág. 1/3

Beatriz, 17. Ciências e Tecnologias


Seguir

Follow

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D