Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicate Notes

As memórias são para ser partilhadas

Finalmente vou fazer algo da vida

Jannideler | Blogg på Devote.se

Chega de dias monótonos enrolada nos lençóis. Novo mês a chegar, é tempo de aproveitar qualquer coisa. Na terça lá me levantei para ir à praia com o mesmo grupo da outra vez e sempre deu para me divertir. Hoje à noite vou a uma festa popular do distrito e vamos ver os Azeitonas e dar umas voltas nos carrosséis, que já tenho saudades!
Em princípio amanhã vou para Lisboa, passar uns dias a casa da minha irmã tal como aconteceu nas férias da Páscoa. Quando regressar, tenho o aniversário de uma amiga muito próxima e devo passar lá a noite. Depois devo regressar a mais uma semana sem fazer nenhum e dia 15 lá vou eu para as Termas pelo 4º ano consecutivo. Oh e vai-me saber pela vida! É sempre bom voltar.
Lá para o final de Agosto, que é quando eu volto (não se preocupem, não se vão livrar de mim, porque eu vou continuar a atazanar-vos o juízo por aqui) vou ter a White Party que antecede as festas populares da minha região. Depois disso? Bem, depois disso não interessa. Afinal ninguém quer saber do regresso às aulas, pois não? E pronto, o meu Agosto resume-se a isto.

one month

30 dias desde Aquela noite. Gostava de ter uma história de conto de fada para contar, mas não. A nossa é tudo, menos isso. Podíamos ter visto o fogo de artifício juntos nessa noite, mas estávamos presos dentro de um autocarro. Mas foi especial na mesma. Não começou da melhor maneira, sentia-me pressionada e a sufocar. Mas não só por ele, pelos meus amigos (rapazes). Por aqueles que me deveriam (supostamente) apoiar. As lágrimas insistiam em cair e não sentia que tinha futuro. Agora? Agora acho que começo a sentir que tem. Cada vez mais.

Dia dois faz um mês. Parece que já passou uma eternidade, para dizer a verdade. Se vai durar? Não sei, duvido. Ainda somos jovens e o mais provável é que tenha um fim. Afinal tudo tem um fim. Mas por agora, fica comigo.

Não percebo! (16)

(5) Tumblr

No outro dia quando fui à praia, fui com um grupo de amigos e amigos de amigos. Basicamente éramos um grupo grande, alguns amigos, outros conhecidos. Diverti-me imenso, é verdade! Foram (quase) todos impecáveis e correu tudo bem. Correu tudo bem até decidirem ligar uma coluna aos altos berros e partilhar a musiquinha manhosa com meia praia. A praia para mim é um sítio para descansar, aproveitar e relaxar e nada me incomodaria mais se alguém fosse para o meu lado com música que não gosto e mesmo que gostasse, ninguém é obrigado a ouvir a música dos outros. Acho que é uma falta de respeito e só me apetecia enfiar num buraco com a vergonha de pertencer ao grupo de adolescentes a fazer poluição sonora. Peguei no meu telemóvel e enfiei os fones para ouvir a minha música. Sim, porque rapps com asneiras e palavras provocadoras parece-me tudo menos adequado para ouvir aos altos berros na praia. Fiquem lá no vosso cantinho, que eu fico no meu e ficamos todos felizes.

Metade das férias já foram

Tumblr

E o que é que eu fiz? Absolutamente nada. Resumo das minhas férias: passar os dias enrolada nos lençóis, atingida pela preguiça and it feels awesome. Entre leituras, séries, sestas e uma dose de exercício físico diário que consiste na minha deslocação da cama à cozinha. Inspirador, não é? O tempo a passar e eu sem fazer nada dele. Sou mesmo uma lontrinha.

Guia-de-como-sobreviver-à-custa-dos-outros

Há situações que me deixam bastante irritada e que me levam a reagir precipitadamente, a explodir e a arrepender-me. Mas sou a primeira pessoa a ir pedir desculpa sempre que algo do género sucede e não tenho problemas em fazê-lo. Aliás, o único motivo pela qual não gosto de pedir desculpa é porque o deveria ter evitado. Mas quando as minhas atitudes não são as melhores, sou a primeira a admitir. Este ano letivo ocorreu uma situação que exigiu um pedido de desculpas, que em parte não sei se deveria ter pedido, mas foi o melhor. 

Se há coisa que me deixa fora de mim é pessoas que não são autónomas o suficiente e a falta de consciência pelo trabalho dos outros. É que independentemente de estar cansada, esforçei-me para fazer um trabalho o melhor que podia e para o poder entregar no prazo, que é o meu dever. Enquanto que outras pessoas a essa hora já estavam no seu terceiro sono. Mas depois pedem-me as respostas e dizem "ah, não te preocupes, eu mudo as palavras e pronto." Mas o que é que "mudar as palavras" vai compensar o trabalho que eu tive, o tempo que dediquei a isso em vez de estar a dormir ou a estudar? Uma coisa é dispensar um TPC, eu própria às vezes peço um ou outro, outra completamente diferente é um trabalho para entregar e que exigiu horas de pesquisa. E o pior, é acusarem-me de "ter descido muito baixo" e colocarem a amizade que tenho por essas pessoas em causa por não querer emprestar o meu trabalho para copiarem. Estarei a ser egoísta? Talvez! Mas irrita-me que alcançem os mesmos resultados que eu, ou até melhores, à minha custa e sem terem qualquer vergonha na cara. Bem, na altura explodi, confesso. Porque já não é a primeira nem a última vez que a mesma pessoa não se dá ao trabalho de mexer o rabinho e fazer alguma coisa da vida. Seja antes dos testes, para trabalhos, ou me liga ou está sempre a perguntar banalidades que só não sabe por mera preguiça! Chega a um ponto em que satura. E depois disso, o "desceste muito baixo" ficou-me ali atravessado, deixou-me a remoer e achei que o melhor era pedir desculpa por ter exagerado. Exagerei, é verdade...mas mantenho a minha opinião e lamento, mas cansei-me de trabalhar para os outros.

Programa de Domingo à noite

Que a televisão portuguesa anda muito pobrezinha, não é novidade nenhuma...mas normalmente aos Domingos à noite havia algum programa (de jeito) a dar em algum dos 4 canais, mas agora nem isso! É que não se aproveita um! Mas felizmente e para minha alegria, o Dança com as Estrelas está de volta este Verão para animar os meus serões de Domingo. No ano passado adorei ver o programa e estou ansiosa que comece a nova temporada com novos concorrentes. Sempre gostei de programas de dança e gosto especialmente deste formato. Por agora, estou bastante curiosa para ver o desempenho de Lourenço Ortigão e Vanessa Martins. Agora é só esperar até dia 3 de Agosto!

Pág. 1/3

Beatriz, 17. Ciências e Tecnologias


Seguir

Follow

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D