Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicate Notes

As memórias são para ser partilhadas

Hope I'm this hot when i'm pregnant

miłośc  | via Facebook

Desde os tempos de Gossip Girl que gosto da Blake Lively e claro, quem não gosta de filmes protagonizados por Ryan Reynolds? Adoro este jovem casal de Hollywood e agora a Blake está grávida, o que eu acho simplesmente amoroso. Para além de que sou fã do seu estilo e normalmente costuma estar nos meus favoritos relativos às diferentes red carpets de eventos. Só espero que se mantenham assim por muito tempo!

D. again

I want to see you be brave.

Eu pensava que o post em relação ao pedido de desculpas dele ia ser o último. O último em que eu falaria disto aqui. Mas não, porque ele tem sempre o dom de me trocar as voltas cada vez que estou a ficar melhor. 

No Domingo a seguir ao jantar da SFH, mandou-me mensagem. Curioso, que é sempre depois de me ver que se lembra de me dizer qualquer coisa. Como se fosse o seu ponto fraco. Enquanto não me vê, fica tudo bem. Quando me vê, lembra-se que existo. A mensagem referia-se ao facto de eu ter ido perguntar à melhor amiga dele, que também é minha amiga, se tinha sido ela a dizer-lhe para me pedir desculpa. É que no dia anterior a isso, eu tinha falado com ela e disse que só queria um pedido de desculpas sincero, então achei estranho. E ele disse-me porque é que não tinha confiado nele e tinha de ter ido perguntar à M. Isto teve realmente piada. Confiar nele? Confiança foi tudo aquilo que ele quebrou e que com os últimos acontecimentos não me parece que a vá recuperar. Basicamente a conversa não desenvolveu muito, porque eu mostrei-me sempre fria, como se pouco me importasse o que ele tinha para dizer. Ele começou logo com coisas se eu gostava do T. porque tínhamos estado "muito juntinhos". Isto é no mínimo ridículo. Eu e o T. somos amigos muito próximos. Conhecemo-nos desde a primária e contamos tudo ao outro. Agora já não podemos estar juntos num sítio a conversar? Nem lhe respondi mais. Aliás, ele só faz isto com medo que eu tenha outra pessoa. Porque ele pode seguir com a vida dele, mas eu não. Eu tenho de estar disponível para ele voltar quando quiser. Mas para mim já chega.

Quinta-feira de manhã, dia 16 de Outubro, recebo uma mensagem a perguntar se tinha saudades de falar com ele. Não respondi. Não valia a pena alimentar mais isto. À noite tinha uma mensagem a dizer "Porque é que não respondes? Eu sei que fui estúpido em fazer tanta merda, mas podias odiar-me menos e falar comigo." Disse-lhe que não tinha nada para lhe dizer. Mas depois a conversa começou a avançar e a tomar um rumo que não me estava a agradar. Se ainda gostava dele, se sentia falta dele, que ele podia ter inventado a história da vingança só para ficar com a V. e na realidade nunca ter gozado comigo, que já fez muita merda a mim e à V., mas que só de uma é que sente verdadeiramente falta. E daqui progredimos para um "quero-te de volta". Só se fosse parva é que eu cedia a estes joguinhos. Antes de gostarmos de uma pessoa, temos de gostar de nós próprios. Amor próprio é fundamental para superar estas situações. Ele não tem noção das coisas que anda a dizer a uma e a outra e das pessoas que anda a magoar. Se pensava que me ia ter sempre ali cada vez que saltita entre mim e ela, estava enganado. Porque chega a um ponto em que acabou, chega. Não se estala simplesmente os dedos e as coisas acontecem e fica tudo bem. Perdoar é fácil, mas voltar a ter confiança é uma história completamente diferente. 

Tudo isto me deixou reticente entre contar ou não contar à V. Tendo em conta que da última vez que uma coisa destas aconteceu, há quase um mês atrás, falámos, eu considerei o peso das duas. Contar porque ela merecia saber e eu gostava que ela fizesse o mesmo comigo, caso eu namorasse com ele e nas costas ele andar a fazer isto. Não contar porque não queria ser motivo de desentendimento entre eles ou que achasse que lhe estava a contar com segundas intenções. Decidi contar-lhe, falar com ela e saber se eles tinham acabado, o que tinha acontecido. Basicamente eu tinha-o confrontado com o facto de saber que se eu dissesse que não, ele voltava para ela, mesmo dizendo que gostava de mim e que não entendia isso. Para mim é impensável estar com uma pessoa diferente da que gosto. 

Ela contou-me então que ele tinha dado um tempo. Nesse mesmo dia, ele pediu-lhe uns dias para pensar. Ou seja, adivinhem só para quê! Esses dias eram os dias em que ele me ia encher a cabeça com falinhas mansas e rezar para que eu aceitasse voltar para ele. Caso isso acontecesse, ele acabava com ela. Se eu dissesse não, ele continuava a namorar com ela como se nunca tivesse acontecido o percalço "eu" pelo caminho. Basicamente eu e a V. unimo-nos e eu mandei-lhe mensagem a dizer que desistisse porque queria seguir em frente. Tal como prevíamos, passado uns segundos ela já tinha uma mensagem dele a dizer que já tinha pensado, para ela esquecer e que estavam bem. Bingo! O que ele não esperava era que logo de seguida levasse com uma mensagem dela a acabar com tudo. Claro que ele a seguir a isso, só se enterrou e não justificou nada das suas atitudes, revertendo o facto de terem acabado para a distância e não para aquilo que tinha acabado de fazer comigo. Enfim. Sinceramente eu tive medo que ela cedesse. Que voltasse para ele. Porque ela nessa sentido é mais frágil que eu, cai mais facilmente na conversa. Tanto que voltou para ele após coisas às quais eu nunca me sujeitaria. Mas por agora, ela tem-se mantido forte. Esta coisas realmente só fazem com que o sentido diminua cada vez mais rápido. E por mim, tudo bem. Visto que agora nem o vou ver durante meses, torna tudo mais fácil. Mas esta história ainda vai voltar. Se já dura há quase 3 anos, os capítulos do desespero do Diogo parte 39875 ainda está para vir! Não percam.

O baile

Apesar de sempre me recordar de frequentar esta sociedade desde pequena, sobre a qual já falei em outro post pelos seus 150 anos, este foi o primeiro ano em que fui a todos os programas festivos para a comemoração do aniversário. No dia 11, houve um jantar (ao qual não fui porque já estava esgotado), mas fui ver o espetáculo a seguir ao jantar com Herman José. Sinceramente, não esperava que fosse nada de especial, mas foi. Fartei-me de rir e deu para passar uma boa noite.

Também no Sábado passado, dia 18, houve um baile de gala. O T. já há um mês que me andava a chatear com isso e para eu ser o par dele e uns dias antes o D. também me pediu para ser o dele. Confesso que estive hesitante em ir, porque não tinha nenhum vestido apropriado e não tenho propriamente orçamento para dispensar para um. Mas lembrei-me de um vestido da Mango que a minha irmã usou num casamento e foi com esse que fui. E ainda bem que o fiz. Foi muito giro! Aliás, enquanto dançava com um amigo meu, ele disse-me que também pensou em convidar-me, mas que depois desistiu da ideia, visto que íamos todos juntos e íamos estar a trocar de par. Foi também a primeira vez que usei saltos altos (tirando as brincadeiras cá por casa). Para o ano, lá estarei outra vez, espero!

Não foi em Setembro, mas foi em Outubro

Mariannan - Costume Mariannan

Custou. Custou a mentalizar-me de que o Verão terminou, que os calções e as sandálias já eram. Mas quando finalmente aceito esse facto, e já sinto saudades de estar no sofá a ouvir a chuva cair, com mantas por cima e chá quente, de vestir malhas e botas, ele decide voltar. 

Mas pode vir o Inverno ou não? Já estou farta de calor. Só se lembra de vir quando tenho de estudar. Mas durante as férias, enquanto ainda podia aproveitar nada. Está certo. Depois ajustamos contas. 

The Very Inspiring Blogger Award

Regras

- Agradecer e colocar o link da pessoa que te nomeou;

Obrigada à Sara, que me nomeou.

- Colocar as regras e o prémio;

- Partilhar sete factos sobre ti;

- Nomear quinze blogs;

 

1. Nunca andei de avião.

2. Não sou grande apreciadora de Nutella.

3. Detesto acordar cedo.

4. Sou extremamente organizada.

5. Estou sempre a ajeitar a franja. Não consigo evitar.

7. Tenho apenas 1,55. Antes gostava de ser pequena, agora não me importava nada de ter mais uns cms.

 

Quem quiser, que se sinta à vontade para fazer o desafio!

 

"When the whole world is silent, even one voice becomes powerful"

Com apenas 17 anos (um a mais que eu) é um exemplo de coragem e determinação. Este Prémio Nobel da Paz não poderia ter sido melhor atribuído! Conheci a Malala já há mais de um ano, visto que o meu explicador a admira bastante e leu o livro dela, publicado em Outubro do ano passado. Esta menina com apenas mais um ano que eu e que é tão grande. Que por lutar pelo direito à educação feminina e enfrentar os obstáculos à valorização da mulher numa sociedade que valoriza filhos homens,  foi baleada por um talibã na cabeça e as chances de sobreviver eram muito poucas. Aos dezesseis anos, ela tornou-se um símbolo global de protesto pacífico e lidou com as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social. Bravo Malala!

Liebster Award

Hoje venho responder a um dos desafios que tinha pendentes e que me foi passado pelas autoras dos blogs Na outra Margem da Memória, The Mocking Bird e  Look at B. Cada uma delas colocou 11 perguntas às quais vou passar a responder.

Regras:

- Colocar a imagem no blog.

- Responder às questões.

- Nomear entre 4 a 11 blogs (de preferência com menos de 200 seguidores) e dar-lhes 11 questões da tua autoria.

 

 

150 anos

Waterloo Bridge (1940) | via Tumblr

No passado dia 8 de Outubro, a SFH, uma das sociedades da minha região, que é onde ando no conservatório, no ballet e nas marchas. Para mim, esta é uma casa muito especial e onde me sinto bem e por isso, este dia foi de fortes emoções. São 150 anos de boa música, de muito trabalho, dedicação e grande qualidade em tudo o que desenvolve. 

Foi há 7 anos que comecei a frequentar com mais assiduidade este espaço, apesar de desde pequena o conhecer e frequentar algumas atividades. Só de me lembrar dos bons momentos que já aqui passei, sinto-me nostálgica. Ainda recordo a SFH antes das obras, parece que foi ontem! As manhãs de convívio antes das aulas de formação musical, a exigência das aulas de instrumento, as peripécias das aulas de coro, os laços que criei no ballet, as brincadeiras no jardim antes de Área de Projeto, a oportunidade de conhecer novas pessoas e de me enriquecer, os ensaios até à 00h00 em vésperas de concerto, os concertos fora da sociedade (Mosteiro dos Jerónimos, Palácio Foz, Casino Tróia, entre outros), os nervos antes das audições de piano, os namoros que aqui começaram e acabaram, os Carnavais ano após ano, os ensaios de marchas e a saída em noite de Santo Popular. Cada cantinho da casa é especial. Cada um associado a um momento. Sou uma pessoa melhor e mais completo depois de tudo isto. Faz parte de mim.

Espero daqui a 50 anos, celebrar os 200 anos com 66 anos e recordar o quão especial foi esta sociedade para mim!

Fim-de-semana de irmãs

Como sabem, a minha irmã está a viver em Lisboa e apesar de ter vindo cá na Quarta para ver o concerto de aniversário da sociedade em que ando no conservatório e ballet, vem cá passar este fim-de-semana! O programa vai ser filmes + pipocas. Estou ansiosa, porque com este tempo sabe bem uma manta, boa companhia e passar a noite a ver filmes. E vai ser o último fim-de-semana antes de começarem as semanas intensivas com testes. Tem-se feito sentir tanto frio quando me levanto da cama de manhã que já preciso do meu robe fofinho para me aquecer!

Quero ver também se vou às compras no Sábado e aproveito para trazer umas botas, de que preciso muito e alguma roupa. Um bom fim-de-semana a todos!

 

Máscara de proteção

rebeledidiot:•代 替 案•

Apesar de ser uma pessoa optimista, sou extremamente racional. Para mim, lidar com os sentimentos e ainda para mais, expô-los é muito difícil. Escondo-os, aguento-os só para mim até chegar ao limite. Não sou uma pessoa física, de muitos afectos e demonstrações de carinho. Ainda não percebi se sou realmente forte e se trata apenas de um mecanismo de defesa. Uma barreira contra desilusões. Ou então, se sou realmente uma cabra insensível. Insensível, como várias vezes me chamam. Seja o que for, ajuda-me a seguir em frente. Ou pelo menos ilude-me nesse sentido.

Pág. 1/2

Beatriz, 17. Ciências e Tecnologias


Seguir

Follow

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D