Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicate Notes

As memórias são para ser partilhadas

Obrigada Sapo!

Foi através de um comentário a parabenizar-me que reparei que estava em destaque na página inicial do Sapo! Já algumas vezes tinham destacado os meus posts, mas nunca o blog. Muito obrigada à equipa incansável dos Blogs do Sapo que sempre se mostraram prontos a ajudar para qualquer dúvida que tive e pelos destaques que me têm dado ao longo destes dois anos e meio de blog. Bem achei estranho as visitas terem triplicado e ter o privilégio de ter uma visita da Pipoca mais Doce. Mais uma vez, muito obrigada!

Amizades improváveis

FASHION INSIDE | via Tumblr

A verdade é que a pouca diferença de idades, visto que a nossa prof. de ballet tem 30 e poucos anos faz com que se crie uma amizade, algo que vai além da relação de professora-aluna. E isso é muito bom! Quando as coisas não estão bem, nós falamos abertamente sobre isso e a própria prof. desabafa connosco. Nós fomos inclusive ao seu casamento, há dois anos quase. Contudo, os desabafos nunca tinham passado da situação de aula. Mas durante este espetáculo, tal como fortaleci relações com alguns dos meus colegas, fortaleci também com a minha prof., apesar de ser muito contrariada e de por sua vez, nos termos chateado por sermos as duas demasiado frontais. Mas na segunda-feira a seguir ao espetáculo ela vai desabafar comigo e gostei disso. Gostei que tivesse confiança em mim para o fazer...só comigo. Tornei-me a psicóloga dela ahah É bom ter amizades assim!

Voltei das aventuras no gelo (em pleno Verão!)

 

Como ter duas bolhas em carne viva no mesmo dedo, cair-me uma unha em outro e rachar outra unha na vertical e ainda ter de enfiar os pés dentro das pontas não era suficiente, toma lá um escaldãozinho que é para agora não teres comichão, nem dores nenhumas, nem sensação de ter a pele a escaldar enquanto vestes o teu lindo fato de Sven!

É verdade, na semana antes do espetáculo tudo me aconteceu. Para além de tudo o que aconteceu aos meus pés por causa das pontas novas, ainda tive um escaldão nas costas e na cara. Era uma rena versão lagosta. O que vale é que até lá me enchi de creme várias vezes ao dia para ver se isto acalmava e se a pele não me caía.

Em relação ao Frozen, tanta confusão que houve por causa de fatos e de tudo isso, mas no final valeu a pena! Fortaleci amizades, principalmente com o L., o rapaz com quem fiz um pas de deux. Pena que ele para o ano vai para o Conservatório Nacional e vai-nos abandonar, mas não podia estar mais feliz por ter conseguido o seu objetivo! Só lhe pedi milhares de vezes "só te peço que não me deixes cair, só isso" e lá me segurou no ombro! Quando dei o impulso para saltar o meu coração palpitava e não estão a ver o meu alívio quando senti o ombro dele. Obrigada por tudo!

Quanto ao meu solo, correu bem, apesar de no ensaio ter corrido melhor, porque na diagonal de piruettes seguidas, com a pressão, comecei a não subir bem à ponta, mas pronto. Recebi elogios que me deixaram bastante corada e orgulhosa, visto que sempre tinha tido uma personagem com mais relevo e agora não fiz tanta coisa. Mas os comentários animaram-me, dizendo que "Realmente és a melhor que dança ali, e provaste-o no teu solo."; "És a minha bailarina preferida."; "A tua irmã passou-te o testemunho"; "Muitos parabéns, sem querer menosprezar as outras, para mim és a que melhor dança, nem se ouve bater com as pontas no chão, parece que voas!". A sério que estes comentários me souberam pela vida! E vá, deu-me um gostinho porque a que fez de personagem principal se acha a maior e sempre que fala disso no twitter ou no instagram faz questão de sublinhar "Adorei dar vida à Elsa, personagem principal do Frozen". Enfim, fiz o meu papel e mesmo assim consegui fazê-lo bem e destacar-me, o que me deixou com o ego em cima, confesso! ahah Não me achem uma convencidona do pior, só quero guardar aqui, com carinho, as palavras que me disseram porque mostra que reconheceram o meu trabalho e isso é reconfortante. As palavras, as palmas..Não vou esquecer! Mesmo sendo uma personagem pouco significante. Agora resta saber a nota do exame e até Setembro, ballet! 

Chuck Bass em Portugal

Wonder Girl | via Facebook

Parece que o nosso Chuck Bass andou a pisar terras lusitanas e ninguém me disse nada! Para não falar da sortuda da Inês Folque que o encontrou em pleno Optimus Alive. Já tinha deprimido por não ter bilhete, então isto ainda veio agravar a minha desilusão! Não é todos os dias que se encontra este menino num festival de Verão, ainda para mais em Lisboa. E houve até quem o encontrasse numa discoteca também por Lisboa. Será sorte ou sorte?

"Van Houten, 

I’m a good person but a shitty writer. You’re a shitty person but a good writer. We’d make a good team. I don’t want to ask you any favors, but if you have time—and from what I saw, you have plenty—I was wondering if you could write a eulogy for Hazel. I’ve got notes and everything, but if you could just make it into a coherent whole or whatever? Or even just tell me what I should say differently. 

Here’s the thing about Hazel: Almost everyone is obsessed with leaving a mark upon the world. Bequeathing a legacy. Outlasting death. We all want to be remembered. I do, too. That’s what bothers me most, is being another unremembered casualty in the ancient and inglorious war against disease. 

I want to leave a mark. 

But Van Houten: The marks humans leave are too often scars. You build a hideous minimall or start a coup or try to become a rock star and you think, “They’ll remember me now,” but (a) they don’t remember you, and (b) all you leave behind are more scars. Your coup becomes a dictatorship. Your minimall becomes a lesion. 

(Okay, maybe I’m not such a shitty writer. But I can’t pull my ideas together, Van Houten. My thoughts are stars I can’t fathom into constellations.) 

We are like a bunch of dogs squirting on fire hydrants. We poison the groundwater with our toxic piss, marking everything MINE in a ridiculous attempt to survive our deaths. I can’t stop pissing on fire hydrants. I know it’s silly and useless—epically useless in my current state—but I am an animal like any other. 

Hazel is different. She walks lightly, old man. She walks lightly upon the earth. Hazel knows the truth: We’re as likely to hurt the universe as we are to help it, and we’re not likely to do either. 

People will say it’s sad that she leaves a lesser scar, that fewer remember her, that she was loved deeply but not widely. But it’s not sad, Van Houten. It’s triumphant. It’s heroic. Isn’t that the real heroism? Like the doctors say: First, do no harm. 

The real heroes anyway aren’t the people doing things; the real heroes are the people NOTICING things, paying attention. The guy who invented the smallpox vaccine didn’t actually invent anything. He just noticed that people with cowpox didn’t get smallpox. 

After my PET scan lit up, I snuck into the ICU and saw her while she was unconscious. I just walked in behind a nurse with a badge and I got to sit next to her for like ten minutes before I got caught. I really thought she was going to die before I could tell her that I was going to die, too. It was brutal: the incessant mechanized haranguing of intensive care. She had this dark cancer water dripping out of her chest. Eyes closed. Intubated. But her hand was still her hand, still warm and the nails painted this almost black dark blue and I just held her hand and tried to imagine the world without us and for about one second I was a good enough person to hope she died so she would never know that I was going, too. But then I wanted more time so we could fall in love. I got my wish, I suppose. I left my scar. 

A nurse guy came in and told me I had to leave, that visitors weren’t allowed, and I asked if she was doing okay, and the guy said, “She’s still taking on water.” A desert blessing, an ocean curse. 

What else? She is so beautiful. You don’t get tired of looking at her. You never worry if she is smarter than you: You know she is. She is funny without ever being mean. I love her. I am so lucky to love her, Van Houten. You don’t get to choose if you get hurt in this world, old man, but you do have some say in who hurts you. I like my choices. I hope she likes hers. 

I do, Augustus. 
I do."

Frozen, take two

Dancer's Feet

Sempre me decidi a fazer o espetáculo e não estou arrependida! Se não fosse o ballet estaria os dias todos fechada em casa e bastante entediada. O meu fato já está a ser feito e também já tenho o pas de deux e o solo coreografado. O meu solo é exigente, ainda por cima porque foi feito, em parte, por um antigo aluno da minha professora que está neste momento no Conservatório em Sevilha que não teve dó nem piedade de mim. Mas prefiro assim a ter uma coreografia com passos idênticos às outras e com algo que não me desafie. O meu único impedimento agora é mesmo as pontas. Vou fazer o espetáculo todo em pontas e tenho 1 semana (1 semana!!) para as trabalhar e moldar as sapatilhas novas ao meu pé, visto que as antigas eram dois números abaixo do meu pé atualmente e era um sofrimento para calçá-las. E agora com as novas pontas estou cheia de bolhas nos pés (que me fazem uma dor insuportável a dançar), já manchei inclusive as novas pontas com sangue e os collants. Como não costumo fazer nada nos pés, estava descansada...Mas a verdade é que quando são sapatilhas novas custa muito.

O meu maior problema é que preciso imenso, preciso desesperadamente de treinar o solo e não vou conseguir curar as bolhas até ao espetáculo ao ter de calçar pontas todos os dias. Façam figas por mim!

Por quem torcem hoje?

⚽

Durante um Mundial ou um Euro, normalmente só vejo os jogos de Portugal. Contudo e visto que Portugal veio para casa cedo este ano, não podia perder a final da Copa do Mundo. Apesar da Alemanha ter tido um melhor desempenho ao longo deste mundial, eu torço pela Argentina. Não me perguntem porquê, mas acho que ainda fiquei com aquele jogo de Portugal-Alemanha atravessado. Culpa nossa, eu sei! Mas pronto. 

...

Vintsgr

Não quero mais. Quero optar pelo caminho mais fácil: desistir. Não aguento mais, as lágrimas correm. Isto em vez de me fazer feliz, faz-me andar enervada, pressionada e triste. E ainda nem uma semana tem e eu sinto-me a sufocar. Não me sinto com borboletas na barriga como era suposto ou super entusiasmada antes de ir ter contigo. Não sinto que isto tenha futuro e não me apetece dar tudo de mim. Mas vai ter de ser, vou ter de aguentar, porque não posso fazer isto contigo pela segunda vez. Será que não aprendo? Eu não quero ninguém. Eu não tenho pachorra para amar alguém. Ainda para mais com tanta porcaria à volta disto. Estou farta. Já chega.

E depois é tudo a acontecer na minha vida, a minha melhor amiga está longe, a passar férias nas Caraíbas e meu deus, sinto tanto a falta dela! A minha irmã passou cá uns dias desde Quarta até Domingo e nem sabem o quão bom foi. Já não me lembrava como era viver com ela assim tanto tempo e ainda para mais no Verão, estou sozinha aqui em casa, já não há brincadeiras, já não há fingir que estamos a dormir após uma noite em que chorámos de tanto rir, quando o nosso pai já está a acordar para ir trabalhar. Já não há mais disso...Durante o ano letivo, como estou ocupada, não sentia tanta falta como agora. Ou melhor, depois destes dias dela cá, para relembrar os velhos tempos fizeram-me mal, porque queria mais disso. Engraçado como aqui eu liberto isto, mas pessoalmente não sou capaz de dizer às pessoas que realmente sinto a falta delas.

No ano passado por esta altura, eu estava feliz. Tão feliz! O Verão do ano passado foi excelente, muito melhor que a merda de Verão que estou a ter este ano. Detesto tanto isto. Só quero dormir, música e que não me chateiem. 

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D